09 Exercícios sobre a revolta das vacinas

exercícios a revolta das vacinas

09 Exercícios sobre a revolta das vacinas. A Revolta da Vacina foi um dos movimentos mais importantes e marcantes do início do século XX. Preparamos 10 questões para que você estudar para sua prova, vestibular e Enem.

Nível fácil

Questão 01

Qual foi o médico envolvido na questão da vacinação obrigatória na Revolta da Vacina?

Gabarito explicadoOswaldo Cruz foi um médico sanitarista que encabeçou uma campanha para diminuir a transmissão de doenças na cidade do Rio de Janeiro.

Questão 02

Qual dos tópicos abaixo não se relaciona com a Revolta da Vacina?

a) Mudanças sanitárias na cidade do Rio de Janeiro.

b) Informações falsas sobre a vacinação contra a varíola.

c) Problemas de saneamento básico.

d) Autoritarismo do governo durante a vacinação.

e) Construção pelo governo de novas habitações para a população mais pobre.

Gabarito explicado Uma das causas da revolta da população, que culminou na Revolta da Vacina, foi o “bota-abaixo”, prática do governo de demolir casas antigas e cortiços do centro da cidade no intuito de modernizar o centro do Rio de Janeiro. Contudo, aqueles que tinham suas casas demolidas não eram indenizados pelo governo, sendo obrigados a procurar regiões periféricas para morar, com pouca ou nenhuma infraestutura ou saneamento básico.

Questão 03

Sobre o contexto da Revolta da Vacina, por que muitas pessoas se irritaram com a medida de Oswaldo Cruz, de tornar a obrigatória a vacinação contra a varíola?

a) Porque a vacina era paga e muito cara para boa parte da população.

b) Porque muitas informações falsas sobre ela se disseminaram, causando um clima de medo e incerteza quanto a sua eficácia e segurança.

c) Porque a reação que a vacina gerava no corpo das pessoas era muito forte, deixando todos os vacinados acamados por 3 dias.

d) Porque o investimento feito pelo governo na época foi muito alto e a vacina não possuía uma eficácia comprovada cientificamente.

e) Porque o governo na época realizou diversos desvios de verba pública na compra da vacina.

Gabarito explicado Muitas informações falsas foram disseminadas quanto a vacina da varíola. Além disso. Por consequência, a população mais pobre, que vinha sofrendo com o chamado “bota-abaixo”, não tinha muitos motivos para pensar que o Estado poderia lhes fornecer algo benéfico. Portanto, ouvir informações sobre “o governo querer injetar uma doença nas pessoas”, apesar de absurdo atualmente, era mais crível naquele momento.

Nível médio

Questão 04

A Revolta da Vacina (1904), ocorrida na cidade do Rio de Janeiro no mês de novembro, gerou um saldo de 945 prisões, 110 pessoas feridas e 30 mortas. O que levou a população a se revoltar contra a vacinação obrigatória proposta pelo governo?

a) A população se revoltou devido às informações falsas sobre os efeitos colaterais da vacina, que foram divulgadas pelo próprio governo.

b) A revolta popular foi alimentada pelo sentimento de opressão causado pela forma autoritária com que o governo implementou a medida.

c) A população se revoltou contra a vacinação obrigatória devido à percepção de que a medida era injusta e discriminatória, pois apenas a população moradora de determinadas favelas cariocas precisaria se vacinar.

d) A resistência contra a vacinação obrigatória foi fomentada por grupos religiosos fundamentalistas, considerando-a uma interferência divina na saúde humana.

e) A população se revoltou contra à má administração do programa de vacinação. A falta de estrutura adequada, a escassez de doses de vacina e a má organização dos postos de saúde geraram frustração e desconfiança na população, alimentando a revolta.

Gabarito explicado Além de toda questão gerada pelo “bota-abaixo”, o modo autoritário como a vacinação foi realizada, muitas vezes com agentes de saúde entrando a força nas casas e vacinando as pessoas sem o consentimento.

Questão 05

Qual foi o contexto da cidade do Rio de Janeiro que influenciou os conflitos da Revolta da Vacina (1904)?

a) As campanhas eleitorais de época, que evocaram uma bipolarização da sociedade carioca.

b) O “bota-abaixo”, com o despejo e a demolição de casas antigas e cortiços na cidade com o objetivo de modernizar o Rio de Janeiro, afetando a população pobre.

c) Os altos impostos cobrados da elite carioca para a manutenção e revitalização de espaços urbanos em regiões mais pobres da cidade.

d) A escolha de Oswaldo Cruz, médico sem preparação ou notoriedade científica, para compor o governo carioca.

e) A falta de recursos para a construção de quadras esportivas nas regiões periféricas do Rio de Janeiro.

Gabarito explicado O projeto de modernização do centro da cidade do Rio de Janeiro foi realizado despejando a população mais pobre de suas moradias. Além disso. Estas muitas vezes iam trabalhar durante o dia e, quando retornavam, encontravam suas moradas no chão. Dessa forma, só os restava procurar regiões periféricas para habitar.

Questão 06

A respeito da Revolta da Vacina (1904), assinale a alternativa errada.

a) Quando o presidente eleito Rodrigues Alves assumiu o governo, em 1902, nas ruas da cidade do Rio de Janeiro acumulavam-se toneladas de lixo.

b) A reurbanização do Rio de Janeiro foi prejudicial para as camadas mais pobres da cidade, pois tiveram seus casebres e cortiços demolidos.

c) Para tentar frear o avanço de doenças, o governo anunciou que pagaria a população por cada rato que fosse entregue às autoridades. Porém, isso levou a surgir criadores desses roedores, que visavam conseguir uma renda extra.

d) O médico Oswaldo Cruz, contratado pelo governo para combater as epidemias existentes na cidade do Rio de Janeiro, se negou a criar uma vacinação obrigatória contra a varíola para todo brasileiro com mais de seis meses.

e) Após o fim dos confrontos da Revolta da Vacina, a Lei da Vacina Obrigatória foi modificada, tornando facultativo o seu uso.

Gabarito explicado Oswaldo Cruz, médico sanitarista, foi o responsável por definir a vacinação obrigatória contra a varíola. Após a Revolta, no entanto, ele a tornou facultativa.

Nível difícil

Questão 07

(Enem)

A Revolta da Vacina (1904) mostrou claramente o aspecto defensivo, desorganizado, fragmentado da ação popular. Não se negava o Estado, não se reivindicava participação nas decisões políticas; defendiam-se valores e direitos considerados acima da intervenção do Estado.

CARVALHO, J. M. Os bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo: Cia. das Letras, 1987 (adaptado).

A mobilização analisada representou um alerta, na medida em que a ação popular questionava:

b) a política clientelista.

d) o arbítrio governamental.

e) as práticas eleitorais.

Gabarito explicado O ponto de reivindicação do movimento era o fato de a vacinação contra a varíola ser obrigatória, o que, segundo os manifestantes, feria os direitos individuais dos cidadãos, que deveriam ter o poder de escolha sobre vacinar-se ou não.

Questão 08

(Cesgranrio) O governo Rodrigues Alves (1902-1906) foi responsável pelos processos de modernização e urbanização da Capital Federal – Rio de Janeiro. Além disso. Coube ao prefeito Pereira Passos a urbanização da cidade e ao Dr. Oswaldo Cruz o saneamento, visando a combater principalmente a febre amarela, a peste bubônica e a varíola. Essa política de urbanização e saneamento público, apesar de necessária e modernizante, encontrou forte oposição junto à população pobre da cidade e à opinião pública porque:

a) mudava o perfil da cidade e acabava com os altos índices de mortalidade infantil entre a população pobre.

b) transformava o centro da cidade em área exclusivamente comercial e financeira e acabava com os infectos quiosques.

c) desabrigava milhares de famílias, em virtude da desapropriação de suas residências, e obrigava a vacinação antivariólica.

d) provocava o surgimento de novos bairros que receberiam, desde o início, energia elétrica e saneamento básico.

e) implantava uma política habitacional e de saúde para as novas áreas de expansão urbana, em harmonia com o programa de ampliação dos transportes coletivos.

Gabarito explicado O “bota-abaixo” foi um processo de modernização do centro do Rio de Janeiro, que se baseava na demolição de moradias pobres para dar lugar a novas obras que trariam um “ar europeu” para a cidade.

Questão 09

(ENEM Digital) Chamando o repórter de “cidadão”, em 1904, o preto acapoeirado justificava a revolta: era para “não andarem dizendo que o povo é carneiro. Além disso. De vez em quando é bom a negrada mostrar que sabe morrer como homem!”. Para ele, a vacinação em si não era importante — embora não admitisse de modo algum deixar os homens da higiene meter o tal ferro em suas virilhas. Além disso. O mais importante era “mostrar ao governo que ele não põe o pé no pescoço do povo”.

CARVALHO, J. M. Os bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo: Cia. das Letras, 1987 (adaptado).

A referida Revolta, ocorrida na cidade do Rio de Janeiro no início da República, caracterizou-se por ser uma

a) Agitação incentivada pelos médicos.

b) Atitude de resistência dos populares.

c) Estratégia elaborada pelos operários.

d) Tática de sobrevivência dos imigrantes.

e) Ação de insurgência dos comerciantes.

Gabarito explicado Parte da população se revoltou durante a Revolta da Vacina, se negando a aceitar a vacinação obrigatória. Essa revolta foi alimentada pelo contexto do “bota-fora” e todo o autoritarismo do governo na aplicação das doses.

Questão 10

(UECE) Em 1904, a Revolta da Vacina, ocorrida na cidade do Rio de Janeiro, então capital federal, deuse num momento decisivo de transformações da sociedade brasileira. Acerca desse movimento, analise as assertivas abaixo.

I. Seu pretexto imediato foi a campanha de vacinação em massa contra a varíola, desencadeada por decisão da própria presidência da república, num momento em que uma onda de insatisfação popular varria o Rio de Janeiro.

II. O governo esbravejava contra métodos de execução da aplicação da vacina que eram truculentos, os soros e os aplicadores pouco confiáveis, e os funcionários, enfermeiros e fiscais encarregados da campanha manifestavam atitudes pouco recomendáveis, mas a vacina era absolutamente necessária.

III. O combate foi intenso. Aproveitando-se das reformas então em curso para a abertura de avenidas, os populares se armaram de pedras, paus, ferros, instrumentos e ferramentas contundentes, e os utilizaram como material bélico contra a polícia.

Está correto o que se afirma somente em

Gabarito explicado  A II é falsa porque quem esbravejava contra essas questões era a população e não o governo.

Continue estudando:

Por fim,

Source link

Tags: | |

Sobre o Autor