10 questões sobre Conjuração Baiana

Elaboramos 10 questões sobre a Conjuração Baiana para facilitar seus estudos para provas, vestibulares e ENEM.

Nível fácil

Questão 01

Qual foi o objetivo principal da Conjuração Baiana?

a) Lutar pela independência do Brasil.

b) Promover a cultura afro-brasileira.

c) Combater a escravidão.

d) Foi um movimento separatista que tinha uma vez que objetivo obter direitos políticos para os baianos.

e) Expandir o transacção na região.

Gabarito explicadoO objetivo principal da Conjuração Baiana era invadir direitos políticos para a população da Bahia, lutando contra as injustiças sociais e econômicas impostas pelo domínio colonial português.

Questão 02

Qual foi o desfecho da Conjuração Baiana?

a) A conquista dos objetivos pelos revoltosos.

b) A itinerário dos revoltosos e a realização de quatro seus líderes: Luís Gonzaga das Virgens, Lucas Dantas, João de Deus e Manuel Faustino dos Santos Lira.

c) O exílio dos líderes revoltosos para Portugal.

d) A anistia (perdão dos crimes) concedida pelo governo português.

e) A celebração da cultura baiana posteriormente a revolta.

Gabarito explicadoA Conjuração Baiana foi reprimida pelas autoridades coloniais portuguesas, resultando na itinerário dos revoltosos e na realização de diversos líderes do movimento.

Questão 03

Qual foi a principal influência ideológica da Conjuração Baiana?

a) Iluminismo e ideais republicanos.

b) Socialismo e anarquismo.

c) Liberalismo econômico.

d) Nacionalismo e separatismo.

e) Teorias raciais e antiescravistas.

Gabarito explicadoA Conjuração Baiana foi fortemente influenciada pelos ideais iluministas e republicanos da quadra, que pregavam a paridade de direitos e a participação política do povo.

Nível médio

Questão 04

Qual era a relação entre a Conjuração Baiana e os ideais revolucionários da quadra, uma vez que o Iluminismo e a Revolução Francesa?

a) A Conjuração Baiana buscava a emprego prática dos ideais iluministas e se inspirava nos eventos da Revolução Francesa para lutar por liberdade e paridade na Bahia.

b) A Conjuração Baiana rejeitava os ideais iluministas e condenava os eventos da Revolução Francesa, defendendo a manutenção das estruturas coloniais na Bahia.

c) A Conjuração Baiana incorporava unicamente parcialmente os ideais iluministas, mas não tinha nenhuma relação ideológica com a Revolução Francesa.

d) A Conjuração Baiana utilizava elementos dos ideais iluministas de forma seletiva e condenava a violência da Revolução Francesa, ainda que tenha utilizado de métodos extremamente violentos na luta pelos direitos na Bahia.

e) A Conjuração Baiana rejeitava tanto os ideais iluministas quanto os eventos da Revolução Francesa, defendendo uma abordagem única para a luta pela independência da Bahia.

Gabarito explicadoA Conjuração Baiana foi influenciada pelos ideais iluministas e buscava infligir esses princípios na luta por liberdade e paridade na Bahia. Ou por outra, os eventos da Revolução Francesa também serviram uma vez que inspiração para o movimento.

Questão 05

Quais foram algumas das estratégias utilizadas pelos conjurados baianos para disseminar suas ideias e mobilizar a população?

a) Além de panfletos e discursos públicos, os conjurados utilizavam festivais religiosos e eventos culturais para disseminar suas ideias e mobilizar a população.

b) Os conjurados baianos empregavam principalmente táticas clandestinas, uma vez que mensagens codificadas e reuniões secretas, para evitar a detecção das autoridades coloniais.

c) A principal estratégia dos conjurados baianos era estabelecer alianças com grupos indígenas e quilombolas, visando fortalecer a resistência ao domínio colonial.

d) Os conjurados baianos utilizavam principalmente jornais e periódicos de circulação pátrio para publicar suas ideias e atrair a atenção do público em universal.

e) As principais estratégias dos conjurados baianos envolviam o uso de métodos violentos, uma vez que ataques a propriedades e assassinatos seletivos, para motivar impacto e disseminar o temor entre as autoridades coloniais.

Gabarito explicadoFestivais religiosos e eventos culturais eram utilizados para disseminar suas ideias e mobilizar a população. Essas ocasiões eram propícias para saber inúmeras pessoas e despertar o interesse pela razão.

Questão 06

Quais foram as principais reações das autoridades coloniais à Conjuração Baiana?

a) As autoridades coloniais reagiram de forma passiva, permitindo que o movimento ganhasse força antes de agir contra os conjurados.

b) As autoridades coloniais reprimiram violentamente o movimento, executando seus líderes e perseguindo seus seguidores.

c) As autoridades coloniais ignoraram o movimento, acreditando que não representava uma ameaço real ao domínio português na região.

d) As autoridades coloniais tentaram negociar com os conjurados, oferecendo concessões políticas e econômicas para completar com a revolta.

e) As autoridades coloniais apoiaram secretamente os conjurados, visando minar as outras potências coloniais na região.

Gabarito explicadoAs autoridades coloniais reagiram de forma violenta à Conjuração Baiana, reprimindo o movimento e executando seus líderes, uma vez que Lucas Dantas e Luís Gonzaga das Virgens. Também houve perseguição e punição aos seguidores dos conjurados.

Questão 07

Qual era a posição dos conjurados baianos em relação à escravidão durante a Conjuração Baiana?

a) Os conjurados baianos defendiam a anulação imediata da escravidão e incluíam a questão em suas demandas políticas.

b) Os conjurados baianos não tinham uma posição unificada em relação à escravidão, porém os grupos de classe sociais menos privilegiadas eram favoráveis.

c) Os conjurados baianos eram favoráveis à manutenção da escravidão, desde que os escravizados tivessem direitos e proteções básicas.

d) Os conjurados baianos não se envolviam na questão da escravidão, concentrando-se exclusivamente em questões políticas e sociais relacionadas à colonização portuguesa.

e) Os conjurados baianos defendiam a emancipação parcial dos escravizados, porém a anulação imediata não era uma demanda medial do movimento.

Gabarito explicadoOs conjurados baianos não tinham uma posição unificada em relação à escravidão. Alguns defendiam a anulação imediata, enquanto outros evitavam abordar a questão para não alienar potenciais aliados, o que refletia as diferentes perspectivas dentro do movimento. Em universal, os indivíduos de classes sociais mais baixas, muitas vezes ex-escravos ou descendentes desses, eram favoráveis.

Nível difícil

Questão 08

(ENEM) “O alfaiate pardo João de Deus, que, na profundidade em que foi recluso, não tinha mais do que 80 réis e oito filhos, declarava que “Todos os brasileiros se fizessem franceses, para viverem em paridade e opulência”. MAXWELL, Ke Condeionaismos da indpendéncia do Brasi. SLVA, MN. (019) O predomínio luso-brasâir, 1750-1822 Listoa: Estampa, 1956.

O texto faz referência à Conjuração Baiana. No contexto da crise do sistema colonial, esse movimento se diferenciou dos demais movimentos libertários ocorridos no Brasil por

a) proteger a paridade econômica, extinguindo a propriedade, conforme proposto nos movimentos liberais da França napoleônica.

b) introduzir no Brasil o pensamento e o ideário liberal que moveram os revolucionários ingleses na luta contra o despotismo monárquico.

c) propor a instalação de um regime nos moldes da república dos Estados Unidos, sem modificar a ordem socioeconômica escravista e latifundiária.

d) apresentar um caráter elitista burguês, uma vez que sofrera influência direta da Revolução Francesa, propondo o sistema censitário de votação.

e) proteger um govemo democrático que garantisse a participação política das camadas populares, influenciado pelo ideário da Revolução Francesa.

Gabarito explicadoA Conjuração Baiana se diferenciou dos demais movimentos libertários no Brasil por proteger um governo democrático que garantisse a participação política das camadas populares, influenciado pelo ideário da Revolução Francesa.

Questão 09

(ENEM) “No clima das ideias que se seguiram à revolta de São Domingos, o descobrimento de planos para um levante armado dos artífices mulatos na Bahia, no ano de 1798, teve impacto muito próprio; esses planos demonstravam aquilo que os brancos conscientes tinham já começado a compreender: as ideias de paridade social estavam a propagar-se numa sociedade em que só um terço da população era de brancos e iriam inevitavelmente ser interpretados em termos raciais.”

MAXWELL, K. Condicionalismos da Independência do Brasil. In: SILVA, M. N. (coord.) O Predomínio luso-brasileiro, 1750-1822. Lisboa: Estampa, 1966.

O temor do radicalismo da luta negra no Haiti e das propostas das lideranças populares da Conjuração Baiana (1798) levaram setores da escol colonial brasileira a novas posturas diante das reivindicações populares. No período da Independência, secção da escol participou ativamente do processo, no intuito de

a) instalar um partido pátrio, sob sua liderança, garantindo participação controlada dos afro-brasileiros e inibindo novas rebeliões de negros.

b) atender aos clamores apresentados no movimento baiano, de modo a inviabilizar novas rebeliões, garantindo o controle da situação.

c) firmar alianças com as lideranças escravas, permitindo a promoção de mudanças exigidas pelo povo sem a profundidade proposta inicialmente.

d) impedir que o povo conferisse ao movimento um texto libertário, o que terminaria por prejudicar seus interesses e seu projeto de região.

e) rebelar-se contra as representações metropolitanas, isolando politicamente o Príncipe Regente, instalando um governo conservador para controlar o povo.

Gabarito explicadoNo período da Independência, secção da escol colonial brasileira participou ativamente do processo com o intuito de impedir que o movimento popular conferisse um texto libertário às mudanças exigidas, o que poderia prejudicar os interesses e o projeto de região dessa escol.

Questão 10

(Fuvest) O ideário da Revolução Francesa, que entre outras coisas defendia o governo representativo, a liberdade de frase, a liberdade de produção e de transacção, influenciou no Brasil a Inconfidência Mineira e a Conjuração Baiana, porque:

a) Cedia às pressões de intelectuais estrangeiros que queriam publicar suas obras no Brasil.

b) Servia aos interesses de comerciantes holandeses cá estabelecidos que desejavam inspirar no governo colonial.

c) Satisfazia aos brasileiros e aos portugueses, que desta forma conseguiram conciliar suas diferenças econômicas e políticas.

d) Apesar de expressar as aspirações de uma minoria da sociedade francesa, cá foi apropriado pelos positivistas aos objetivos dos militares.

e) Foi adotado por proprietários, comerciantes, profissionais liberais, padres, pequenos lavradores, libertos e escravos, uma vez que justificativa para sua oposição ao despotismo e ao sistema colonial.

Gabarito explicadoA influência do ideário da Revolução Francesa na Inconfidência Mineira e na Conjuração Baiana se deu porque foi adotado por uma ampla gama de grupos sociais, uma vez que proprietários, comerciantes, profissionais liberais, padres, pequenos lavradores, libertos e escravos. Eles utilizaram esse ideário uma vez que justificativa para se oporem ao despotismo e ao sistema colonial vigente.

 

Tags:

Sobre o Autor

0 Comentários

Deixe um comentário